SAUDADE EM VERSO E PROSA

O amor verdadeiro vai muito além dos sonhos desta vida...

Textos


SHANGRI-LA


Eu sinto bem que já vivi muitas jornadas;
Fui senhor e fui escravo em vidas passadas...
Nossa existência é vivida em mil avatares!
Trazemos do berço aquela inata certeza
Que o amor é destino de nossa natureza
Cuja busca remonta a tempos milenares!

São destas repetidas migrações terrenas
Que guardamos às vezes com certezas plenas,
Um sentimento ou um desejo sem razão;
Um grande amor inexplicável que sentimos,
O querer estar num lugar que nunca vimos,
E até as mágoas que apertam o coração.

Por isto eu sei que toda esta amargura triste
Que sinto n'alma e que a razão até resiste
Vem de longe, muito além do país da morte!
Por isso, num sopro de luz no firmamento
O vulto dela me ilumina, faz-me atento
E passo, então, a idealizá-la em minha sorte!

Mas, ( -sei que ela dirá- ) este vate delira:
- É pelo impossível que sonha e que suspira
O insensato e desvairado trovador!
Não. Nenhum bardo versifica e sonha em vão!
É que fiel escravo o poeta é desta emoção
Que vem de longe, da terra da magia, do amor...

Eu penso, às vezes, que fui lá pelos inversos;
Quem sabe não virão de Shangrilá os versos
Que jorram d'alma de quem, um dia, antevi?
Se o “Déjà vue” que sinto é de fato verdade,
Se o que trago arraigado no peito é saudade,
Não se iluda mais, creia, lá te conheci!


Foto: google
Som: Serenade (Schubert)
Nelson de Medeiros
Enviado por Nelson de Medeiros em 09/12/2016

Música: schubert-serenade - Schubert

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras