SAUDADE EM VERSO E PROSA

O amor verdadeiro vai muito além dos sonhos desta vida...

Textos


* Soneto resposta ao Soneto do Desalento da poetiza Lilian Vargas.

ALENTO

 
O poeta não conjuga o verbo amar
No pretérito passado... Somente
O faz no indicativo do presente
Que é o tempo deste  amor conjugar!
 
Jamais  roubaste a prata  do luar,
Pois desde sempre em minha mente
Os versos de tu alma, constantemente
Tem as nuanças  do céu estelar!
 
Quem és eu sei.  Vou dizer quem sou eu:
Vês ao longe o horizonte do universo?
Vá  lá com su!alma livre,  alforriada
 
A encontrar a do poeta, escravizada
Pelo  alento de apenas  ter  um verso
Na poesia de um ardente beijo teu!
 



*SONETO  DO DESALENTO

Amei o poeta... O poeta não me amou
Na vã ilusão, troquei a noite pelo dia
Criei versos de amor e rimas de alforria
De onde o coração de tudo se libertou
 
Dei carinho, ma o poeta não me amou
Vesti-me de prata, usurpei a cor da lua
Despi-me dos tabus e cesuras... Fiz nua
Supliquei ao vento para lhe dizer quem sou
 
Num lapso de tempo, olvidei o dissabor
Para nós, criei a fantasia num lindo castelo
Ele era rei, eu rainha... Imperava o amor
 
A realidade, friamente, tudo dissipou
Como fumaça que esvai do sonho to belo,
Desencanto foi o que no coração restou!


 * Lilian Vargas.
 

Imagem: Google

Love theme from Romeo Juliet  ( Kenny G . - sax)
Nelson de Medeiros
Enviado por Nelson de Medeiros em 15/02/2017

Música: Kenny G - Love theme from Romeo Juliet - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras