SAUDADE EM VERSO E PROSA

O amor verdadeiro vai muito além dos sonhos desta vida...

Textos


 A DEUSA DA MINHA RUA
 
Sempre à noitinha eu a vejo chegar
Retornando, elegante, a seu abrigo...
Não sou “voyeur”, mas juro, não consigo
Deixar de olhar um corpo singular!
 
Seus olhos verdes, verdes como figo,
São adornos duma deusa dalém mar,
E as tranças enroladas, cor de trigo,
Tem  nuanças do poente no luar!
 
Tudo nela me encanta e me fascina,
E os modos de mulher e de menina
Num só tempo são pueris e obscenos!
 
Sei que é teimosa e até intransigente...
Pode ferir, sem pena, agudamente,
Mas sabe amar, sem pejo, como Vênus!
 

Imagem: Google
Fundo: Mulheres ( comp. Martinho da Vila)

 
Nelson de Medeiros
Enviado por Nelson de Medeiros em 17/02/2017
Alterado em 17/02/2017

Música: Mulheres - Matinho da Vila

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras